Em evento com militares, Bolsonaro diz que tropas podem fazer país 'rumar para normalidade'

 Presidente afirmou que ministro da Defesa é o que 'mais se destaca' por ter 'a tropa em suas mãos'.

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que "em última análise" as Forças Armadas poderão fazer o país "rumar em direção à normalidade, ao progresso e à paz". O presidente afirmou que dos 23 ministros que fazem parte do governo, o da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, é o que "mais se destaca" por ter "a tropa em suas mãos".

— Tenho 23 ministros. Todos são importantes, mas um se destaca. É o da Defesa. Porque tem a tropa em suas mãos. É o que, em última análise, poderá fazer o país rumar em direção à normalidade, ao progresso e à paz — disse, em cerimônia de cumprimento a oficiais-generais promovidos, no Palácio do Planalto.

Bolsonaro repetiu que se a pátria voltar a chamar os militares, as Forças Armadas farão "tudo", "até mesmo em sacrifício da própria vida". O presidente ainda disse que os militares sempre agiram "ao lado da legalidade".

— Deveres, garantias e responsabilidades, nós sempre estivemos ao lado da legalidade. E tenha certeza. Se a pátria um dia voltar a nos chamar, por ela tudo faremos, até mesmo em sacrifício da própria vida — disse nesta terça-feira.

Na semana passada, quando foram comemorados 58 anos do golpe militar de 1964, o ministério da Defesa disse que o golpe é um "marco histórico da evolução política brasileira" e que "respondeu aos anseios" da sociedade à época.

Na mesma data, Bolsonaro defendeu a ditadura militar e atacou ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que algumas pessoas não atrapalhem, coloquem suas togas e parem de "encher o saco".

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.