Sancel
26.4.21

Após açude sangrar, em Taperoá, padre pede que população evite aglomerações na pandemia

 O religioso explica no vídeo que o ClickPB teve acesso sobre a importância de fazer sacríficos em um momento de crise sanitária, como esse em que o mundo passa.

Após as fortes chuvas que caíram em Taperoá nos últimos dias, o açude Manoel Marciolino transbordou. O momento foi comemorado pelos moradores da região que foram até o local. A quantidade de gente foi tanta que o padre da paróquia da cidade fez um apelo nesta segunda-feira (26) em suas redes sociais pedindo para que a população evite visitar o açude enquanto estiver em pandemia.  

De acordo com boletim do município sobre dados da Covid-19, 14 óbitos foram confirmados. Também foram confirmados 500 casos da doença. A cidade aparece com bandeira laranja na avaliação do Plano Novo Normal feita pelo governo do estado.

O religioso explica no vídeo que o ClickPB teve acesso sobre a importância de fazer sacríficos em um momento de crise sanitária, como esse em que o mundo passa.  "Para que essa pandemia não se alastre com tanta força, peço a população que evite toda concentração e aglomeração. Todos nós queremos comemorar, mas o momento é de prudência, renúncia e sacrifícios. Vamos renunciar esse momento lúdico no açude, para que outros momentos livres dessa pandemia, nós possamos fazer com mais liberdade, nas margens do açude", destacou.

Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgadas nesta sexta-feira (23), a Paraíba tem 287.340 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus. O número de mortes chega a 6.648. 

Confira o vídeo a seguir:

Por ClickPB
  • Comentar com o Gmail
  • Comentar com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: Após açude sangrar, em Taperoá, padre pede que população evite aglomerações na pandemia Rating: 5 Reviewed By: Informativo em Foco