RÁDIO INFORMATIVO EM FOCO

União Brasil anuncia Soraya Thronicke como pré-candidata à Presidência após desistência de Bivar; convenção será na sexta

 No último domingo (31), Bivar anunciou que não seria candidato ao Planalto e lançou o nome de Soraya.

O partido União Brasil anunciou nesta terça-feira (2) a pré-candidatura à Presidência da República de Soraya Thronicke. A oficialização da chapa está marcada para a sexta-feira (5), quando ocorre a convenção nacional da sigla.

O anúncio ocorreu em evento em São Paulo com a presença de políticos paulistas do partido, como o vereador Milton Leite, e também do presidente nacional da sigla, Luciano Bivar.

Em discurso, Bivar disse que a candidatura de Soraya Thronicke deve ser confirmada nesta sexta.

"Sexta-feira seu nome está submetido à convenção nacional", disse.

No mesmo evento, o presidente interno do partido, Antônio Rueda, declarou que a candidatura de Soraya teve uma aceitação "excepcional" entre os correligionários e que seu nome é "consenso" no partido.

"Toda a comissão instituidora está muito confortável. Consultei todos nossos pré-candidatos ao governo e todos fizeram fileira em torno do nome da Soraya", declarou Rueda.

Apoio a Rodrigo Garcia

Durante o mesmo evento, os políticos do União Brasil anunciaram o apoio do partido à candidatura de Rodrigo Garcia (PSDB) para o governo do estado de São Paulo.

"Rodrigo Garcia é nosso candidato aqui a governador", disse Bivar.
Os representantes, no entanto, não confirmaram a indicação de um nome do partido para ser candidato a vice na chapa de Garcia. O vice-presidente do União Brasil, Eduardo Rueda, confirmou que seu nome foi um dos citados para a chapa, mas outros quadros também poderiam ser escolhidos.

"Eu não tenho dúvida de que todos os nomes que compõem o nosso partido são fortes nomes", declarou Rueda.

Desistência de Bivar

No último domingo (31), Bivar anunciou que não seria candidato ao Palácio do Planalto em um evento em Recife.

"Resolvi voltar e continuar na Câmara Federal com ajuda de vocês para que a gente possa continuar presidindo o partido com a força que tem nosso partido, nossos parlamentares e todos os que compõem o União Brasil", discursou, confirmando a candidatura à reeleição.

No mesmo evento, o presidente da sigla declarou que a senadora pelo Mato Grosso do Sul, Soraya Thronicke, seria a candidata do partido ao Palácio do Planalto. “Quero parabenizar meu Senado Federal, na pessoa da senadora Soraya Thronicke, que em breve estará em Pernambuco se apresentando como alternativa para nosso país”, afirmou.

O nome dela tem sido defendido por líderes do partido como forma de equalizar gastos do Fundo Eleitoral – já que a legislação atual impõe uma cota mínima de gastos para a candidatura de mulheres.

Bivar disse, ainda, que é preciso defender a democracia e falou que esse foi um dos propósitos para a criação do União Brasil, com a união do PSL e DEM.

“Eu tenho absoluta convicção de que nós queremos o que o União Brasil pretende. Dois partidos que fundiram-se para dar segurança política, segurança institucional ao país. Porque eu talvez seja um dos poucos aqui que vivi um momento delicado quando era estudante da faculdade de direito. A gente precisa, antes de tudo, preservar nossa democracia, a liberdade de tantos jovens que querem realmente prestar seu trabalho e inteligência em desenvolvimento do nosso país”, declarou.

O anúncio da desistência ocorreu no mesmo evento em que o União Brasil oficializou a candidatura do ex-prefeito de Petrolina Miguel Coelho (União) ao governo de Pernambuco. O ato ocorreu no Clube Internacional, na Madalena, na Zona Oeste.

A desistência de Bivar havia sido antecipada pelo colunista Gerson Camarotti. Ao blog, dirigentes do partido contaram que o presidente nacional do União se queixava de um possível "abandono" nos palanques estaduais, embora soubesse que sua candidatura estava sendo prevista apenas para marcar posição – sem qualquer compromisso de apoio real nas bases.

Bivar não pontuou na última pesquisa Datafolha que mediu as intenções de voto para presidente de República.

O empresário Luciano Bivar tem 77 anos. Formado em Direito, fez pós-graduação em Educação Financeira em Illinois, nos Estados Unidos. Bivar está no seu terceiro mandato como deputado federal por Pernambuco. Foi eleito pela primeira vez em 1998. Antes, em 1994, participou da fundação do PSL, partido que presidiu até a criação do União Brasil.

Bivar também foi presidente do Sport, tendo deixado o cargo em 2013 para se candidatar a deputado federal.

O União Brasil é um partido criado em outubro de 2021 como resultado da fusão entre PSL e DEM. O presidente Jair Bolsonaro, que agora tenta a reeleição pelo PL, chegou ao poder filiado ao PSL. Ele deixou a legenda em novembro de 2019 após uma série de desentendimentos com Bivar.

A crise entre Bivar e Bolsonaro se tornou pública em outubro de 2019, quando o presidente se dirigiu a um apoiador e pediu para ele "esquecer" o partido, argumentando que Bivar estava "queimado para caramba".

A saída de Bolsonaro do PSL desencadeou uma crise no extinto partido, dividindo as alas ligadas a ele e a Bivar.

O União Brasil tem a maior bancada no Congresso e, por isso, é o partido que vai receber o maior valor de Fundo Eleitoral nas eleições deste ano: R$ 782,5 milhões, bem como um dos maiores tempos de TV nas propagandas eleitorais. A distribuição leva em conta o número de candidatos eleitos pelo partido na última eleição.

Por isso, o apoio do partido tem sido disputado pelos candidatos ao Planalto. O próprio ex-presidente Lula (PT), candidato à presidência, articulou a desistência de Bivar.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.