Bolsonaro minimiza trocas na presidência da Petrobras: 'se tiver que trocar cinco, eu troco'

 Presidente afirmou que não veria 'problema' em fazer nova mudança caso não esteja 'dando certo'.

O presidente Jair Bolsonaro minimizou nesta quarta-feira as sucessivas trocas no comando da Petrobras, que já teve quatro presidentes em seu governo. Bolsonaro disse que se tiver que fazer uma nova troca, fará "sem problema".

— (Dizem) "Ah, ele trocou quatro vezes o presidente da Petrobras". Sim, se tiver que trocar cinco, eu troco. Não tem problema. (Troco quando) Não está dando certo. Se bem que o que colocamos lá agora, né... — disse Bolsonaro, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Bolsonaro já nomeou e demitiu três presidentes da Petrobras: Roberto Castello Branco, Joaquim Silva e Luna e José Moura Coelho. Um quarto nome, Fernando José, comandou a estatal de forma interina até o governo conseguir emplacar o nome de Caio Paes de Andrade, atual presidente.

Na mesma conversa, o presidente também disse que as trocas não são para "interferir", mas sim porque o "sentimento social" não estaria sendo responsável.

— Ninguém quer trocar o presidente da Petrobras para interferir. A gente quer trocar porque ele não tem aquele sentimento social que está previsto em lei. Em momentos de guerra, tudo é diferente. Até na casa de vocês.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.