Medalhista nos Jogos de Tóquio, paraibana Silvana Fernandes é ouro em Grand Prix de Taekwondo na Bulgária

 Paraibana de São Bento acumula vitórias. Ela foi terceira colocada nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 e seu desejo de mais uma medalha para o Brasil, desta vez de ouro, segue sendo comemorado.

A paraibana Silvana Fernandes, 23, foi campeã no Grand Prix de taekwondo paralímpico de Sofia, na Bulgária, nesta segunda-feira (6). A atleta comemorou a conquista em suas redes sociais e agradeceu o apoio que teve para enfrentar os desafios e chegar em primeiro lugar. 

"Filha das raízes mais distantes das capitais, onde o sol nasce depois, tenho no meu sangue a força do verdadeiro sertanejo, aquele que persiste até o último final pelo o que acredita e é assim que conquistamos o mundo. Das raízes sertanejas para o mundo. Quero agradecer a Deus e a todos que caminham junto comigo em busca do meu melhor", disse. 

Em 2021, ela conquistou a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, na categoria acima dos 58kg classe K44, para atletas com amputação unilateral do cotovelo até a articulação da mão.

Além da medalha de ouro de Silvana, na categoria até 57 kg, o Brasil subiu mais duas vezes ao pódio durante a competição: o campeão paralímpico Nathan Torquato ficou com a prata na categoria até 63 kg e Cristhiane Neves faturou o bronze (até 52 kg). Ao todo, dez lutadores brasileiros estiveram presentes no torneio. 

Com as três medalhas (uma de ouro, uma de prata e outra bronze), o país ficou em terceiro lugar geral na competição, atrás da Turquia e do México. Ao considerar apenas a disputa feminina, os pódios de Silvana e Cristhiane também colocaram o Brasil na terceira colocação. Neste caso, a delegação brasileira foi superada pelas seleções turca e uzbeque. 

"Foi um evento importante, com os melhores atletas do mundo em cada uma das categorias. Ter ficado no top 3 novamente, assim como aconteceu nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 e no Mundial, mostra que o nosso trabalho tem sido bem feito. A perspectiva é a que a modalidade evolua ainda mais no Brasil para os Jogos de Paris 2024", disse Rodrigo Ferla, coordenador técnico de taekwondo paralímpico na Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD). 

A participação do Brasil no Grand Prix, o primeiro de Taekwondo Paralímpico, aconteceu após o país se destacar na estreia do Pan-Americano da modalidade.

O evento foi realizado na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro, no último mês de abril. Nessa competição, o Brasil foi o vice-campeão com 14 pódios. O México, com quatro medalhas de ouro, ficou com o primeiro lugar do torneio. 

Confira mais imagens da comemoração a seguir:

SELEÇÃO BRASILEIRA PARATAEKWONO

Silvana Cardoso (PB)
Fabrício Marques (RJ)
Nathan Torquato (SP)
Pedro Paulo Neves (PR)
Cristhiane Neves (RN)
Maria Eduarda Stumpf (RS)
Leylianne Ramos (AP)
Ana Carolina Moura (MG)
Débora Menezes (PR)
Camila Macedo (PR)


Técnicos:

Rodrigo Ferla (PR)
Alan Nascimento (SP)
Elisa Pilarski (SP)

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.