Filho de Paul Auster morre por overdose após ser acusado de matar filha bebê

 Auster estava sendo investigado depois ser acusado de homicídio culposo pela morte de sua filha de dez meses de idade, Ruby, no ano passado.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Daniel Auster, o filho do escritor americano Paul Auster, morreu nesta terça (27) aos 44 anos, revelou o portal New York Post. Ele morreu em decorrência de uma overdose de drogas, que, segundo os agentes de Justiça envolvidos no caso, pode ter sido acidental, já que a concentração das substâncias em seu corpo eram similares às que ele tomava normalmente.

Auster estava sendo investigado depois ser acusado de homicídio culposo pela morte de sua filha de dez meses de idade, Ruby, no ano passado. A autópsia concluiu que a criança morreu por overdose de fentanil e heroína, segundo os investigadores, embora a polícia não tenha descoberto como ela ingeriu as drogas.

Na ocasião, Auster estava com a filha na tarde de 1º de novembro quando paramédicos foram chamados à sua residência no bairro no Brooklyn, em Nova York, e encontraram a criança inconsciente e desacordada. Auster foi preso em 15 de abril devido ao episódio.

Além dessa última passagem pelos registros policiais, há duas décadas Auster se declarou culpado pelo roubo de US$ 3.000 do traficante Andrew Melendez. Mais conhecido como "Angel ", o traficante foi assassinado num caso conhecido após ter seu corpo despejado no rio Hudson.

Segundo afirmações de pessoas próximas, Auster usava heroína desde a adolescência.
Seu pai, Paul Auster, é um importante romancista americano que já venceu diversos prêmios internacionais, tendo entre suas obras mais conhecidas "A Trilogia de Nova York", "O Livro das Ilusões" e "Leviatã". Sua mãe é a também premiada escritora e tradutora Lydia Davis, que se divorciou do marido em 1978.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.