Secretaria de Saúde de João Pessoa alerta para a importância da vacinação que previne contra o sarampo

 A tríplice viral deve ser administrada em duas doses, sendo a primeira aos doze meses de idade e a segunda entre os 15 meses.

A Secretaria de Saúde de João Pessoa fez um alerta para a importância da vacinação que previne contra o sarampo.A rede municipal de saúde tem uma ampla oferta de imunobiológicos e realiza a avaliação da caderneta de vacinação em todas as salas de vacinas localizadas nas unidades de saúde da família (USFs). 

A ação tem como objetivo colocar a prevenção e imunização da população pessoense em dia, de todos os públicos: crianças, adolescentes, adultos e idosos. O chamamento e a atenção especial é também para tríplice viral, que previne contra sarampo, caxumba e rubéola, que são doenças altamente contagiosas.

A tríplice viral deve ser administrada em duas doses, sendo a primeira aos doze meses de idade e a segunda entre os 15 meses. Após duas semanas da aplicação, a proteção é iniciada, e o efeito deve durar para a vida inteira. Crianças mais velhas, adolescentes e adultos até 29 anos não vacinados ou sem comprovação de doses aplicadas também tomam duas doses com intervalo de um a dois meses.

Para os indivíduos entre 30 e 59 anos sem comprovação da vacina e que não tenham tido as doenças, tomam o imunizante em dose única. Profissionais de saúde, independente da idade, precisam comprovar duas doses.

Fernando Virgolino, chefe da seção de imunização da Prefeitura de João Pessoa, explica a importância da vacinação como uma forte e eficaz medida de prevenção. “O sarampo é uma doença infecciosa extremamente contagiosa e pode ser grave. A vacina é o único meio de impedir a recirculação e disseminação da doença, que pode apresentar complicações e óbitos. Os pais devem estar atentos a importância de completar o esquema vacinal de seus filhos com as duas doses”, afirmou.

A vacina está disponível em todas as unidades de saúde da família (USF), policlínicas municipais e no Centro Municipal de Imunização, localizado no bairro da Torre. “A circulação do vírus coloca em risco, sobretudo, as crianças menores de um ano, que ainda não estão imunizadas contra a doença, por isso, a importância de manter o cartão de vacinação, independente da faixa etária, em dia”, completou Fernando Virgolino.

Contraindicação - A vacina não é indicada às mulheres gestantes, pessoas com doenças que afetem o sistema imunológico, como HIV ou câncer, por exemplo e pessoas com histórico de alergia à Neomicina ou a algum dos componentes da fórmula.

Casos - Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação da Vigilância Epidemiológica (Sinan-Net), em 2019, foram registrados 89 casos suspeitos e 20 confirmados para sarampo em João Pessoa. Em 2020, foram 5 casos suspeitos e 1 confirmado.

Em 2016 o Brasil recebeu o selo “país livre do sarampo” e, em 2018, voltou a apresentar casos da doença e o vírus continua em circulação até os dias atuais. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2019, a doença atingiu o maior número de casos notificados em 23 anos em todo mundo. Em 2020, mais de 8.400 casos foram registrados no Brasil.

Por ClickPB

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.