Sancel
13.3.20

Ciclista que ficou tetraplégico busca reparação de Gusttavo Lima

"O médico disse que se eu fizer fisioterapia posso ter a esperança de evoluir. Mas não tenho condição financeira nenhuma e a empresa não ajuda em nada", diz o ciclista

Denival era consultor de seguros, mas estava desempregado quando sofreu o acidente. A falta de plano de saúde e as dificuldades de arcar financeiramente com os custos de assistência médica, fraldas geriátricas e outros gastos preocupam parentes. (Foto: reprodução)
Denival Gomes Barreto, de 61 anos, encontrou no ciclismo uma paixão. Pedalava dezenas de quilômetros todos os dias e chegou a conquistar troféus em competições amadoras como o desafio Serra do Rio do Rastro. Mas tudo mudou na noite do último dia 3 de janeiro, quando ele sofreu um acidente e ficou tetraplégico.
O ciclista voltava de Botafogo rumo à Taquara, onde mora, quando se deparou com um obstáculo imprevisto na ciclovia da Avenida Salvador Allende. Na altura do Parque dos Atletas, na Barra, operários montavam a estrutura de um show de Gusttavo Lima. Segundo Barreto, parte da estrutura foi largada na ciclovia sem sinalização. Como era de noite, ele não enxergou a obstrução e colidiu. Apesar dos equipamentos de segurança, teve ferimentos na cabeça e fraturou quatro vértebras.
— Era por volta das 20h, estava escuro e tinha pouca gente na ciclovia. Cruzei com um casal que estava correndo, depois vi dois homens trabalhando em uma escada. Desviei deles e bati em algo. Quando vi, estava no chão — lembra ele.
Uma ambulância que estava a serviço da empresa Balada Eventos, responsável pela gestão da carreira musical de Gusttavo Lima, levou o ciclista até o Hospital municipal Lourenço Jorge, onde ele foi submetido a cirurgia e recebeu oito pinos de platina na coluna. Depois disso, no entanto, Denival diz não ter recebido mais nenhum tipo de assistência.
Em fevereiro, após receber alta hospitalar, com a necessidade de acompanhamento constante, Denival contou com a solidariedade de parentes, que se cotizaram para pagar R$ 3.500 por sua permanência em uma casa de repouso. No último dia 23, ele precisou voltar a ser internado por causa de uma infecção urinária. Agora, ele está no Hospital Miguel Couto e quer lutar na Justiça por uma reparação.
— Estou enfrentando uma luta dolorosa. O médico disse que se eu fizer fisioterapia posso ter a esperança de evoluir. Mas não tenho condição financeira nenhuma e a empresa não ajuda em nada — diz.
Tentativa de acordo
Denival era consultor de seguros, mas estava desempregado quando sofreu o acidente. A falta de plano de saúde e as dificuldades de arcar financeiramente com os custos de assistência médica, fraldas geriátricas e outros gastos preocupam parentes.
— Ele era muito cuidadoso, sempre utilizou todos os equipamentos de segurança. Tanto que o médico falou que se ele não tivesse com capacete teria morrido. Nossa preocupação agora é que ele tenha alta do hospital e não tenha como ir para um lugar onde possa ter a assistência adequada — diz a pedagoga e prima do ciclista Adriana Santoni, de 47 anos.
O advogado Giorgio Santoni, de 47 anos, que é marido de Adriana, tentou resolver a questão com a empresa de forma extrajudicial.
— A ideia era resolver isso de forma amigável, porque a família não tem condições financeiras para pagar o apoio psicológico e de fisioterapia que ele necessita. Com muita dificuldade, consegui fazer contato com a empresa. Pediram para eu enviar alguns documentos, incluindo laudos médicos, e nunca mais responderam — diz o advogado.
Filha de Denival, a estudante universitária Larissa Barreto lamenta a falta de diálogo.
— Percebemos que houve certa negligência e desinteresse em ajudar — afirma.
O que diz a empresa
Em nota enviada na tarde desta sexta-feira, a empresa Balada Eventos afirma que a montagem da estrutura para o show é de responsabilidade de uma empresa terceirizada e que já foi acionado o seguro contratado de praxe em todos os eventos. Segundo a Balada Eventos, representantes do ciclista se recusaram a enviar documentos requeridos pela seguradora.
No entanto, o advogado Giorgio Santoni enviou ao EXTRA um e-mail datado do dia 2 de março no qual um representante da Balada Eventos está copiado. Neste e-mail, o remetente confirma ter recebido os documentos solicitados e afirma que naquela mesma data os documentos seriam enviados à seguradora.
Confira a seguir a nota completa enviada pela Balada Eventos:
"O evento “Buteco RJ” foi organizado pela BALADA EVENTOS e AudioMix em parceria com empresas locais. Em cada cidade por onde passa, as empresas promotoras contratam empresas terceirizadas para execução de determinados serviços, dentre eles a montagem da estrutura, montagem de palco, entre outros. Na edição ocorrida no Rio de Janeiro no dia 04 de janeiro de 2020, a montagem do palco e estrutura do show foi realizada por uma destas empresas contratadas.
Ao que se apura da reportagem, na noite que antecedeu a edição do Buteco, os funcionários da empresa responsável pela montagem da estrutura, utilizaram, parte da ciclovia para alocar os materiais que estavam utilizando, sendo que o ciclista colidiu-se com este material e foi socorrido por uma ambulância contratada para o evento. Na declaração do ciclista na mencionada reportagem, ele afirma que “viu dois homens trabalhando em uma escada”.
Referidos profissionais eram colaboradores da empresa terceirizada contratada para montagem da estrutura do show.
Após o incidente, o ciclista recebeu assistência da empresa contratada para a montagem do palco, inclusive já tendo sido acionado para o caso o seguro contratado de praxe em todos os eventos, logo após o incidente e ainda solicitado aos representantes do ciclista diversos documentos requeridos pela seguradora, para avaliação do sinistro, sendo que os representantes do ciclista se recusam a enviar referida documentação.
O advogado do ciclista procurou a BALADA EVENTOS e AudioMix, que já convocaram as demais empresas responsáveis pela edição do evento, que estão em tratativas, porém ainda não se compuseram em razão da necessidade de documentos para avaliação da seguradora."

Por 

  • Comentar com o Gmail
  • Comentar com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: Ciclista que ficou tetraplégico busca reparação de Gusttavo Lima Rating: 5 Reviewed By: Informativo em Foco