Egito recupera sarcófago de 2,7 mil anos que havia sido contrabandeado para os EUA

p> Segundo governo do país, peça foi roubada e estava em exibição em um museu americano

Um dos maiores sarcófagos de madeira já descobertos, contrabandeado para fora do Egito e que, até recentemente, estava em exibição em um museu dos Estados Unidos, foi devolvido nesta segunda-feira, anunciou o ministro das Relações Exteriores do Egito, Sameh Shoukry.

— Existem dois tipos de sarcófagos: os de restos da realeza e os de nobres. Este pertenceu a um nobre —, disse Mostafa Waziri, chefe do Conselho Supremo de Antiguidades.

Shoukry e Waziri falaram em entrevista coletiva no Ministério das Relações Exteriores, transmitida pela televisão. O sarcófago, de 2,94 metros de comprimento e 90 centímetros de largura, com a face pintada de verde, data do final do período faraônico, há cerca de 2.700 anos.

Na última década, o país conseguiu recuperar mais de 29.000 peças de antiguidades roubadas e vendidas fora do Egito.

Além disso, também anunciou várias descobertas importantes nos últimos meses, principalmente na necrópole de Saqqara, ao sul do Cairo. Em 2021 e 2022, mais de 300 sarcófagos e 150 estátuas de bronze foram reveladas, muitos com mais de 3.000 anos.

O Egito espera que estas novas descobertas reativem o turismo, muito afetado pela pandemia de covid-19, setor que emprega 2 milhões de pessoas e gera mais de 10% do PIB do país.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.