Justiça manda despejar Cafu de casa em Alphaville por dívida

 Juiz ordenou com que Cafu, capitão do pentacampeonato de 2002, seja despejado de casa em Alphaville

O juiz Raul de Aguiar Ribeiro Filho solicitou com que o capitão do pentacampeonato Mundial na Coreia do Sul e Japão, em 2002, Marcos Evangelista de Morais, conhecido mundialmente como Cafu, seja despejado de sua casa de 526 metros quadrados localizada em Alphaville, São Paulo.

Conforme repercutido pelo colunista do UOL, Rogério Gentile, o juiz ainda permitiu que arrombem a residência do ex-jogador caso exista alguma resistência no momento da solicitação de despejo.

Processo

O caso contra o campeão da Copa do Mundo de 1994 e 2002 foi aberto por dois empresários que alegam que, em outubro de 2017, emprestaram R$ 1 milhão ao ex-lateral-direito da seleção verde-amarela.

Segundo os empresários, que não tiveram os nomes divulgados, o ídolo do São Paulo e Palmeiras firmou um compromisso de devolver o dinheiro emprestado em três meses, tendo que pagar juros de R$ 160 mil. Ainda segundo informações da fonte, o imóvel em Alphaville foi uma das garantias caso o acordo não fosse cumprido.

Os profissionais informaram à Justiça que "os autores [do processo] somente pretendem receber o que lhes é devido de forma justa". O atleta, por outro lado, admitiu que o empréstimo realmente existiu, mas conta que os juros que colocaram "são abusivos, ilegais e criminosos".

Maliciosamente, [os empresários] tentam se enriquecer de forma ilegal, lesando de forma intencional o requerido [Cafu], cobrando juros que pela lei pátria são proibidos, inclusive suas práticas são considerados crimes", declarou o representante legal de Cafu, ainda segundo o UOL.

A justiça paulista, entretanto, não aceitou a declaração dos advogados do ex-jogador e solicitou que a residência seja esvaziada.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.