Cabo Gilberto atribui vandalismos após diplomação de Lula a lideranças de esquerda: “infiltrados do MST”

 "​Todo mundo ficou com medo. Foi um ato organizado. Tudo combinado pela esquerda para tentar colocar culpa nos apoiadores do presidente Bolsonaro", disse o parlamentar como acompanhou o ClickPB.

O deputado federal eleito pela Paraíba Cabo Gilberto (PL), afirmou, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta terça-feira (13) que as cenas de vandalismo com ônibus e carros incendiados após a diplomação de Lula em Brasília, na noite dessa segunda-feira (12), foram protagonizadas por “infiltrados do MST”.

"Todo mundo ficou com medo. Foi um ato organizado. Tudo combinado pela esquerda para tentar colocar culpa nos apoiadores do presidente Bolsonaro", disse o parlamentar como acompanhou o ClickPB. 

Em post no seu Twitter ele reforçou essa ideia, "ateiam fogo em carros e ônibus causando quebradeira e caos em Brasília após a prisão do índio Serere. Não caiam em narrativas! A Direita sempre se manifestou de forma pacífica e ordeira”, criticou.

Os atos de vandalismo começaram na frente da Polícia Federal, na Asa Norte, por volta de 19h30, após o cumprimento de um mandado de prisão temporária contra o indígena José Acácio Tserere Xavante, apoiador de Jair Bolsonaro. A prisão do indígena aconteceu por determinação do STF e atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.