RÁDIO INFORMATIVO EM FOCO

Homem suspeito de matar ex-namorada é preso em motel de Belo Horizonte

 Dois dias antes do crime, jovem de 25 anos procurou a polícia para registrar queixa contra homem.

O homem de 29 anos suspeito de matar a ex-namorada na Região do Barreiro, em Belo Horizonte, foi preso, na manhã desta sexta-feira (5). Thales Thomás do Vale estava em um motel.

De acordo com informações preliminares da Polícia Militar, o homem estava em um dos quartos do estabelecimento, localizado na rua Úrsula Paulino, no bairro Cinquentenário, Região Oeste da capital.

"A Polícia Militar, com o seu serviço de inteligência, continuou as buscas para a localização de Thales. Hoje, por volta de 5h30, chegou uma notícia via 190 que Thales estaria hospedado em um motel no bairro Betânia. A atendente reconheceu Thales como sendo o autor do feminicídio de Emilly", explicou o subtenente Antônio Honorato, do 5º Batalhão de Polícia Militar.

Thales foi preso em motel de BH após matar ex — Foto: Raquel Freitas / TV Globo

Conforme o subtenente, os militares bateram na porta de um dos quartos e foram recebidos pelo homem, que reagiu à prisão e precisou ser imobilizado e algemado.

"A prisão causou algumas escoriações e ele foi atendido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Neste quarto de motel foi apreendido com ele certa porção de maconha. Depois que cometeu o feminicídio, ele evadiu e se hospedou nesse motel por volta das 15h ficando até hoje", detalhou o policial.

Thales não quis falar onde escondeu a faca usada no crime, mas disse que pegou o objeto na casa da vítima. O tênis dele foi apreendido com manchas de sangue.

"Ele assumiu a prática do crime, alegou que não foi por causa do término do relacionamento. No dia anterior, a Emilly estava na companhia dele, na casa dele e eles tiveram uma discussão por causa de ciúmes. No dia seguinte, ele foi tentar reatar o namoro", contou o subtenente.

Velório

O velório de Emilly começou por volta das 11h40 desta sexta no Barreiro. O sepultamento está marcado para às 14h30 em um cemitério de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

"Era uma menina muito trabalhadora, ajudava bastante a gente, muito carinhosa e prestativa. Era era muito ligada ao meu pai, que faleceu dia 7", contou o pai da Emilly, Julei Fernandes.

O crime

Emilly Luíza Ferrete Fernandes, de 25 anos, estava em casa quando foi atacada pelo ex com uma faca.

"O portão de casa estava só com o cadeado passado. (Ele chegou) começou a pedir desculpas para minha irmã, mas ela não aceitou. Ele entrou e eu fui pegar um pedaço de pau para defender eu e minha irmã, ele começou a desferir os golpes contra ela, muitas facadas, ela caiu no chão, eu tentei cair por cima dela", contou o irmão da vítima, de 16 anos, que também foi atingido.

Segundo ele, há cerca de um mês, o homem entrou em contato por videochamada com a ex-sogra fazendo ameaças. O casal ficou junto por cerca de seis meses.

Emilly estava em casa com o irmão no momento do ataque — Foto: Arquivo Pessoal /Divulgação

A mulher chegou a ser socorrida pela polícia para o Hospital Júlia Kubitschek, mas não resistiu aos ferimentos.

Suspeito vivia nos Estados Unidos, segundo família de vítima

Segundo familiares de Emilly, Thales mora nos Estados Unidos e estava na casa de parentes dele no Brasil.

"Eu só o conhecia por foto, parece que ele já tinha histórico agressivo. Ela estava muito animada, empolgada, acho que ela ia para os Estados Unidos para ficar com ele. Já tinha tirado passaporte, estava fazendo aulas de inglês. Só que depois eles terminaram e ela não ia mais", contou o pai da vítima, Julei Fernandes.

Segundo familiares da vítima, casal ficou junto cerca de seis meses — Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Puxões no pescoço e braço

Na última terça-feira (2), a jovem procurou a Polícia Civil informando que o casal tinha terminado e que o homem ficou com ciúmes após a jovem criar um perfil fake em uma rede social.

Entre os amigos dessa rede estaria um outro ex dela. O suspeito teria jogado um telefone e um celular contra a mulher, ela se levantou para ir embora do imóvel em que estavam e, nesse momento, ele puxou o pescoço e o braço dela e a jogou sobre a cama.

Os avós do homem tentaram cessar a briga e a levaram até o portão. Nesse momento, ainda conforme o registro policial, o suspeito a jogou no chão e lhe arrastou tentando puxar o relógio que já estava no braço dela.

A vítima voltou para a casa, e o ex foi atrás pedindo que ela não denunciasse os fatos à polícia. A jovem procurou a Delegacia de Mulheres, onde o caso foi registrado.

O que diz a Polícia Civil

Sobre o registro da vítima no dia 2 de agosto, a Polícia Civil informou que "foram instaurados medidas de investigação e foi expedido medida protetiva para a vítima".

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.