Turista holandesa morre em fogo cruzado de pistoleiros contra traficante brasileiro na Amazônia colombiana

 Durante o atentado, uma holandesa que estava em uma mesa próxima ficou ferida e depois morreu no hospital. Uma autoridade policial disse que ela estava em lá por turismo.

Uma turista holandesa morreu no fogo cruzado entre pistoleiros e um traficante de drogas brasileiro em um restaurante na cidade de Leticia, no sul da Colômbia, informou a polícia nesta quinta-feira (16).

Dois homens armados em uma motocicleta mataram a tiros o traficante brasileiro Celso Caldas de Lima e feriram mais duas pessoas que o acompanhavam, também brasileiros, segundo o boletim policial.

Durante o atentado, uma holandesa que estava em uma mesa próxima ficou ferida e depois morreu no hospital. Uma autoridade policial disse que ela estava em lá por turismo.
Caldas de Lima havia sido preso há cinco anos na Colômbia durante uma operação contra o narcotráfico.

Ele foi então acusado de estabelecer ligações entre o Clã do Golfo, a maior facção de traficantes da Colômbia, e a Família do Norte, uma das maiores do Brasil. A Interpol o buscava por tráfico de drogas, homicídio e extorsão. A polícia não especificou por que ele estava livre.

Colômbia e Brasil compartilham uma fronteira de floresta de 1.600 quilômetros, por onde a cocaína fabricada pelos cartéis colombianos é traficada, denunciam as autoridades.

Com cerca de 143.000 hectares de folhas de coca plantados em 2020, segundo a ONU, a Colômbia é o maior produtor mundial dessa droga.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.