Papa Francisco demite padre investigado por pornografia com adolescente no interior de São Paulo

 Comunicado de demissão foi divulgado pela Diocese de Votuporanga (SP), na terça-feira (24).

Um padre da Diocese de Votuporanga (SP) foi demitido pelo Papa Francisco, de acordo com um comunicado divulgado nesta terça-feira (24).

Com a decisão do Papa, Juliano Osvaldo de Camargo foi dispensado das obrigações sacerdotais e perde todos os direitos da ordenação.

Ao g1, a Diocese de Votuporanga informou que a demissão de Juliano ocorreu por causa da conclusão de um processo de ação penal que refere-se ao envolvimento de um menor de idade.

Conforme apurado pela reportagem, em 2016, o religioso trocou mensagens com o menor. Por nove meses, adquiriu fotografias com cenas pornográficas envolvendo a vítima, que pedia dinheiro como forma de recompensa.

Comunicado foi divulgado pela Diocese de Votuporanga (SP). Diocese de Votuporanga/Divulgação

Inicialmente, Juliano foi condenado a 2 anos e 8 meses de reclusão por adquirir e armazenar pornografia envolvendo criança ou adolescente, mas recorreu ao Tribunal de Justiça e a pena foi reduzida a 1 ano e 6 meses em regime aberto, além do pagamento de multa.

De acordo com o documento, a decisão do Papa foi emitida no dia 31 de março. O então sacerdote foi notificado no dia 19 de maio, quando a determinação da demissão foi cumprida.

O documento também foi assinado pelo bispo de Votuporanga, dom Moacir Aparecido de Freitas, e divulgado no site da Diocese.

A Diocese de Votuporanga também afirmou ao g1 que o padre estava afastado do ministério sacerdotal desde 2018 para a investigação do caso.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.