Após assassinato de motorista em João Pessoa, líder da categoria diz que empresas de aplicativos ignoram trabalhadores

 Na madrugada de hoje, Thomaz Magno da Silva, de 33 anos, foi sequestrado e morto a facadas, no bairro do Valentina, em João Pessoa.

Após o assassinato de um motorista em João Pessoa, nesta segunda-feira (30), o vice-presidente da Associação dos Motoristas de Transporte Privado Individual por Aplicativo da Paraíba (AMTPI-PB), Ykaro Araújo, declarou ao ClickPB que as empresas de aplicativos ignoram os trabalhadores. Ele disse que elas não têm interesse em conversar com os motoristas em forma de categoria e só aceitam o diálogo individualmente, com exceção de quando são processadas.

Na madrugada de hoje, Thomaz Magno da Silva, de 33 anos, foi sequestrado e morto a facadas, no bairro do Valentina, em João Pessoa. Os criminosos levaram o carro e outros objetos da vítima. O veículo foi encontrado abandonado no bairro do Funcionários II.

Thomaz Magno não fazia viagens por aplicativo em tempo integral, já que trabalhava também como professor.

O vice-presidente da AMTPI-PB disse que a categoria já procurou o poder público várias vezes. "Já até estamos cansados de procurar. Já fizemos reunião com o comando da Polícia Militar, com vereadores e tudo, mas não tem jeito."

Yago Araújo também relatou ao ClickPB que tentaram parcerias com as empresas de aplicativo, mas sem sucesso. "As plataformas de aplicativo, tanto Uber como 99Pop, a gente já procurou inúmeras vezes para tentar fazer uma parceria, para levar demandas da categoria. Mas eles não recebem a gente como categoria. Eles não querem que sejamos organizados em grupo. Já ficamos de marcar reuniões, mas nada foi feito."

O ClickPB disponibiliza o e-mail redacao@clickpb.com.br para obter a resposta da Uber e da 99Pop, bem como da Polícia Militar, citadas na matéria.

Por ClickPB

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.