Saúde lança mascote do SUS para doenças raras em evento com Queiroga e Michelle Bolsonaro

 O objetivo é que, ao ter seu caso identificado, essas pessoas possam ser encaminhadas para o serviço especializado.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (31) um programa de capacitação para profissionais de saúde do SUS voltado ao reconhecimento de pacientes com doenças raras. O objetivo é que, ao ter seu caso identificado, essas pessoas possam ser encaminhadas para o serviço especializado.

A iniciativa foi anunciada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em evento com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A dupla também apresentou a nova mascote do SUS, identificada como Rarinha.

De acordo com o Ministério da Saúde, a personagem passará a integrar campanhas da pasta nas redes sociais sobre doenças raras.

O curso de capacitação será composto por videoaulas e poderá ser acessado gratuitamente por meio da plataforma UniverSUS Brasil. O conteúdo foi elaborado pela Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica em parceria com Conselho Federal de Medicina, Sociedade Brasileira de Medicina da Família e Comunidade e Núcleo Tele Saúde do Rio Grande do Sul.

"Precisamos de uma política pública que possa atender com sustentabilidade as pessoas raras. Em um país grande como o Brasil, precisamos nos empenhar na pesquisa para cuidar destas pessoas", afirmou Queiroga durante o lançamento.

Atualmente, segundo o ministério, o Brasil conta com ao menos 20 estabelecimentos de saúde habilitados como Serviços de Referência em Doenças Raras. Os pacientes também podem buscar por atendimento em Unidades Básicas de Saúde e em serviços de média e alta complexidade.

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.