Paraíba tem a segunda menor ocupação de leitos de UTI para tratamento de covid-19 no Brasil

 A situação mais confortável nos hospitais são as dos estados do Acre, com taxa de ocupação de 20% de UTIs para Covid, seguido de Paraíba (30%), Amapá (33%) e Rio Grande do Norte (41%).

Com a redução de mortes por Covid-19 nas últimas semanas, a Paraíba tem a segunda menor ocupação de leitos de UTI para tratamento de covid-19 no Brasil. A situação mais confortável nos hospitais são as dos estados do Acre, com taxa de ocupação de 20% de UTIs para Covid, seguido de Paraíba (30%), Amapá (33%) e Rio Grande do Norte (41%). O quadro reflete maior tranquilidade nas redes de saúde, principalmente nas cidades do interior.

A Paraíba, que já vacinou 64,5% da população com pelo menos uma dose, nos últimos dois meses reduziu pela metade as internações e óbitos, segundo o secretário-executivo de Saúde, Daniel Beltrammi.

A redução de casos e da média móvel de mortes em decorrência da doença -que baixou de mil diárias no último sábado (31) pela primeira vez desde 20 de janeiro- impulsionam o fechamento de vagas, ao ritmo em que a vacinação avança.

Outros pequenos municípios do estado também apresentam melhora, como Piancó, com seus 16 mil habitantes. Na cidade, o Hospital Regional Wenceslau Lopes, que já teve mais de 800 internações por Covid-19, vê reduzir a ocupação. Do final de junho até o começo deste mês, os dados apontam queda de 80% na UTI e 70% na enfermaria.

"Foi possível perceber essa redução com a realização da imunização nos idosos, quando houve diminuição dos internamentos, bem como casos mais graves", diz a diretora da unidade, Inêz Leite. Um ano atrás, estava com 100% de ocupação. "Era um trabalho exaustivo, pois estávamos acima da capacidade e os profissionais entrando em exaustão tanto física quanto mental."

Por 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.