Sancel
25.9.18

Conheça os 5 maiores vilões das mulheres que desejam engravidar

Problemas na saúde íntima geram secura vaginal, coceira e podem ser provocados por alterações hormonais ou consumo de substâncias

Um dos primeiros incômodos entre as mulheres que apresentam alterações hormonais é a secura vaginal. É engano pensar que a falta de lubrificação é acometida somente em períodos de menopausa, até mesmo as mais jovens podem apresentar esse sintoma em determinado momento.

Segundo o portal especialista em saúde e maternidade, Trocando Fraldas, a secura vaginal está presente em 33% das brasileiras e pode significar um problema para a gravidez. Aqui vamos listar possíveis complicações que geram a secura vaginal e desequilibra a saúde íntima da mulher. Acompanhe.
Desequilíbrio hormonal
A flora vaginal é um sistema que necessita da produção adequada de estrogênio para estimular as células da parede vaginal na produção do glicogênio. As bactérias saudáveis, como os lactobacilos presentes nessa região, ajudam a manter em equilíbrio o pH e a deter possíveis agressores.
Por algumas razões como infecções, inflamações e outros, a produção de estrogênio no organismo pode ser insuficiente, o que desequilibra a flora vaginal e pode gerar secura. Portanto, antes de usar qualquer tipo de lubrificante para resolver o problema momentaneamente é essencial procurar auxílio de uma ginecologista para avaliar o quadro.
Amamentação
Embora pouco comentado, o período da amamentação também pode afetar a flora vaginal, porém isso não é uma regra, algumas mulheres não apresentam esse sintoma.
A prolactina produzida durante a amamentação interfere na liberação do hormônio estrogênio, mas nem sempre gera desequilíbrio. Mães que produzem prolactina em excesso podem ser acometidas pela queda da lubrificação. Nesse caso é recomendado procurar orientação médica.
Menopausa
Durante a menopausa é muito comum a secura vaginal, pois nessa fase todos os hormônios sexuais femininos sofrem alterações. Esse é um período em que o corpo compreende que passou da fase reprodutiva, portanto diminui a produção de células na parede vaginal responsáveis pela lubrificação e fertilidade.
Além da secura vaginal, as mulheres em período de menopausa apresentam outros sintomas como a coceira e devem realizar o acompanhamento médico. Se houver necessidade o especialista vai indicar a reposição hormonal para esses casos, além do lubrificante íntimo.
Infecções
A candidíase é uma das infecções mais comuns entre as mulheres, afetando cerca de 75% da população feminina. Os fungos oportunistas que vivem na própria região vaginal podem se manifestar em decorrência da baixa imunidade ou má higiene íntima.
A candidíase provoca coceira, ardência ao urinar e corrimento incomum. A manifestação do problema, assim como outros tipos de inflamações, pode gerar secura, pois altera o pH saudável da vagina e a umidade natural.
Faça exames ginecológicos regularmente para o diagnóstico do problema e tratamento. O trato é bastante simples com a indicação de pomadas e se necessário, comprimido oral.
Medicamentos
Alguns medicamentos alteram a flora vaginal, como antibióticos ou mesmo tratamentos quimioterápicos modificam a produção de estrogênio no organismo. Nestes casos a secura na vagina pode ser incidente.
Pílulas anticoncepcionais também alteram a produção de estrogênio no corpo feminino. O receptor do progestagênio é antagonista ao estrogênio e pode dificultar a sua absorção nas células.
Não é uma regra, mas algumas mulheres podem perceber a menor lubrificação após a troca de anticoncepcional ou o consumo de algum medicamento. Consulte o especialista e veja a possibilidade de substituição do método ou indicação de lubrificantes.
Qual o papel da lubrificação vaginal na gravidez?
Mulheres com menor lubrificação, mesmo em período fértil, podem apresentar dificuldade na gravidez. As causas da infertilidade ainda é um tema muito estudado na bancada científica e envolve desde fatores biológicos, até questões socioeconômicas e ambientais.
Por conta da complexidade dos diagnósticos entre os casais que não conseguem engravidar, 36% das situações pertencem a causas desconhecidas.
A lubrificação da vagina além de tornar o ato sexual mais prazeroso, tem um papel importante na fertilidade, uma vez que contribui para passagem do espermatozoide até o colo do útero permitindo o aceso as trompa e fertilização após a liberação do óvulo.
Na ausência do muco cervical todo o processo de reprodução natural é afetado. Os espermatozoides necessitam de um ambiente saudável para se manterem vivos após a ejaculação. Uma vez que o pH vaginal sofre alterações ou apresenta acidez excessiva pode impedir a sobrevivência dos espermatozoides e dificultar a gravidez.
Os lubrificantes vaginais funcionam? Quando é indicado?
Após a investigação do quadro clínico do casal por médicos e especialistas competentes, além da checagem de que não existem outros fatores que possam dificultar a gravidez do casal, a lubrificação pode ser indicada.
Hoje é possível contar com formulações específicas para quem deseja engravidar e o pH ideal para a saúde dos espermatozoides. O Conceive Plus e o Famigel, são alguns exemplos. Consulte sempre o seu médico ginecologista para a indicação e certifique a sua saúde antes de consumir qualquer produto.
Notícias ao Minuto
  • Comentar com o Gmail
  • Comentar com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: Conheça os 5 maiores vilões das mulheres que desejam engravidar Rating: 5 Reviewed By: Informativo em Foco